Investimento

Tributação de investimentos: entenda a incidência do IR na renda fixa

Tempo de leitura: 3 min

Na hora de fazer um investimento em renda fixa, a maioria das pessoas observa com cuidado qual o rendimento prometido da aplicação. Não há nenhum problema em fazer isso, uma vez que o objetivo de qualquer investimento é justamente obter esses retornos. Quanto maiores eles forem, melhor.

Todavia, a tributação de investimentos também deve ser considerada. Por isso, preparamos este texto a fim de explicar como o Imposto de Renda incide sobre as aplicações de renda fixa. Boa leitura!

Quais são os investimentos de renda fixa tributados pelo IR?

Investimentos de renda fixa são todos aqueles que permitem ao investidor saber qual vai ser o rendimento da aplicação no momento em que ela é feita. Entre as opções mais comuns dessa categoria estão os títulos do Tesouro Direito, os CDB’s e as Letras de Crédito Agrícola ou Imobiliária (LCA ou LCI).

Cada uma dessas opções conta com algumas particularidades e uma delas é a incidência ou não do IR. Entre as alternativas mencionadas acima, o Tesouro Direto e os CDB’s sofrem com a cobrança do tributo.

Como é feito o cálculo dessa tributação?

Para entender como o IR sobre os investimentos de renda fixa é calculado, precisamos ter em mente duas regras básicas. A primeira delas é que quanto maior o tempo em que o dinheiro for investido, menor a alíquota. A segunda diz que a cobrança será feita apenas sobre a rentabilidade obtida e não sobre o total do dinheiro aplicado. Assim, de acordo com a primeira regra, as alíquotas cobradas são as seguintes:

  • 22,5 % para investimentos de até 180 dias;
  • 20% para investimentos de 180 até 360 dias;
  • 17,5% para investimentos de 361 dias até 720;
  • 15% para investimentos acima de 721 dias.

Um exemplo pode facilitar o entendimento. Imagine um investimento de R$ 2 mil feito no Tesouro Direto por 2 anos (ou seja, 730 dias) que tenha rendido, após esse prazo, R$150. Assim, o valor acumulado será de R$ 2150.

No entanto, o IR incide apenas sobre o rendimento no momento do resgate da aplicação. Logo, nesse cenário, a cobrança será de R$22,50 e o investidor terá à sua disposição R$ 2.127,50 para sacar.

Existem investimentos isentos do IR?

Felizmente, existem opções de investimentos isentas da cobrança de IR. Entre as mais conhecidas estão a caderneta de poupança e Letras de Crédito Agrícola ou Imobiliária (LCA e LCI).

Quais cuidados tomar para a tributação não comprometer os ganhos?

Diante dos impostos cobrados, qualquer decisão de investimento deve passar pelo cálculo do peso deles nas perspectivas de retorno. Investimentos com retorno muito baixo podem ter sua rentabilidade bem comprometida pelos tributos. Por outro lado, nem sempre investimentos isentos oferecem uma rentabilidade melhor que aqueles no qual há incidência de impostos.

Além disso, na hora de considerar a tributação de investimentos, é preciso levar em conta o prazo e dar prioridade aos períodos maiores, que são mais vantajosos graças às alíquotas menores. 

Quer contar com o apoio dos melhores profissionais na hora de fazer seus investimentos? Então entre em contato com a Akiva Finanças agora mesmo.