Aposentadoria

Transferência de bens ainda em vida: como fazer?

Tempo de leitura: 3 min

Divisão de bens não costuma ser um tema muito agradável, pois geralmente remete ao falecimento — na maioria das vezes, de um ente querido. Mas o assunto não precisa ser evitado, afinal, há alternativas para evitar dor de cabeça no futuro, especialmente em um momento delicado.

Você sabia que é possível fazer a transferência de bens antes da morte e que esse é um passo importante para um bom planejamento financeiro?

No artigo de hoje, vamos fornecer informações atuais e relevantes a respeito do processo de doação de patrimônio em vida. Dessa forma, com certeza a vontade do proprietário dos bens será cumprida. Confira!

Como funciona a transferência de bens em vida?

Especialistas são unânimes em dizer que partilhar os bens em vida é um processo muito menos complicado e mais barato do que deixar para depois da morte. Atualmente, a principal maneira de realizar esse procedimento é por meio do planejamento sucessório.

Ainda em vida, qualquer pessoa é livre para distribuir seu patrimônio da forma mais conveniente para si. Porém, é preciso ter um cuidado especial. A lei prevê que herdeiros tenham a mesma proporção de bens divididos entre eles. Isso significa que, mesmo em vida, caso um dos beneficiários seja um dos herdeiros necessários, a proporção da legítima dos demais herdeiros deve ser aplicada.

Outra forma de transferência de bens em vida é por meio da doação, que pode ter cláusulas de usufruto (tempo determinado para utilização do bem), impenhorabilidade (proibição de penhora) e inalienabilidade (não pode ser alienado).

O mercado financeiro também é uma possibilidade para a partilha de bens em vida, por meio de diversos mecanismos, como fundos fechados de investimento, planos de previdência privada e holdings.

Por que contar com assistência especializada?

A legislação brasileira não é de fácil entendimento e a transferência de bens em vida requer muito conhecimento legal e cautela para não criar problemas no futuro.

Por isso, é fundamental contar com profissionais qualificados e especializados neste tipo de serviço. Dessa forma, você será bem orientado e estará resguardado contra qualquer aborrecimento.

Quais são as vantagens de partilhar ainda em vida?

Quando a divisão dos bens é feita antes da do falecimento, fica garantido que tudo sairá conforme a vontade do proprietário. Isso nem sempre acontece quando é feito um testamento.

Em vida, o dono do patrimônio pode dividir tudo como bem entender, já em testamento, a pessoa fica obrigada a reservar metade de tudo para seus filhos, enquanto a outra metade pode ser destinada a qualquer pessoa.

Outra vantagem é diminuir custos e prazos para finalizar todo o processo. Considere que as taxas aplicadas em cima do valor total dos bens ficam entre 10 e 12%. Já deu para ver que a economia pode ser grande, não é mesmo?

Além de economizar financeiramente, seus familiares também podem ser poupados de todo desgaste para reunir a documentação necessária para dar entrada no procedimento de inventário.

Neste artigo, você pôde se informar sobre como funciona a transferência de bens em vida, além de conhecer algumas das vantagens desse recurso.

Quer saber mais sobre planejamento e conscientização financeira por meio de produtos e serviços diferenciados? Entre em contato conosco, com certeza podemos te ajudar!