previdência privada
Aposentadoria

Saiba quais são as vantagens da previdência privada!

Tempo de leitura: 5 min

A aposentadoria é um importante planejamento para profissionais bem-sucedidos, pois haverá um momento que você desejará viver da renda de seus investimentos e a previdência privada permitirá a conquista desse objetivo.

Trazemos aqui o funcionamento da previdência privada, seus tipos e uma lista de seus principais riscos e vantagens. Confira!

Como funciona a previdência privada e quais são seus tipos?

Trata-se de um investimento que visa ser a principal fonte de renda no momento da aposentadoria dos investidores. Contratam-se planos de previdência para os clientes depositarem quantias mensalmente.

Após um determinado período — de diferimento — e de ter acumulado um determinado montante, os bancos ou seguradoras pagam um salário aos seus investidores.

Existem dois tipos de previdência privada, o Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL) e o Vida Gerador de Benefícios Livres (VGBL). Suas diferenças se encontram na forma de tributação do Imposto de Renda:

  • PGBL: é tributado sobre o montante na hora do resgate, e pode ser feita a dedução de até 12% da renda anual, na declaração Anual de Ajuste de Imposto de Renda, durante o período de diferimento (período de contribuição).
  • VGBL: somente os lucros obtidos ao investir na previdência são tributados pelo IR, também incidirão somente na hora de resgate.

Se os custos do plano ultrapassarem 12% da renda bruta anual, o ideal é adotar o VGBL para o excedente, mas para usufruir do benefício oferecido pelo PGBL o contribuinte deve fazer a declaração pelo modelo Completo.

Quais são as vantagens da previdência privada?

Facilidade na contratação e não incide o Come-Cotas

Os bancos ou seguradoras apresentam os planos e a contratação é facilitada, de modo super prático e com desembolsos flexíveis permitindo contribuições regulares ou esporádicas. Esse procedimento minimiza a burocracia e dores de cabeça ao investidor. Também não existem come-cotas como nos fundos de investimento, que são os recolhimentos antecipados do IR, que ocorrem no último dia útil dos meses de Maio e Novembro. Este último falto, da não incidência do come-cotas, fará toda a diferença em um produto que visa cumprir um objetivo de longo prazo, pois não haverá a antecipação do Imposto de Renda, permitindo que os juros compostos façam maior efeito na reserva acumulada.

Portabilidade

Se você optou por um investimento que era excelente na época em que escolheu, mas depois ele deixou de ser interessante, você pode migrar para outro plano de previdência.

A mudança é simples, rápida e não há necessidade de resgatar o dinheiro investido. Outros investimentos passíveis de tributação sofrerão pagamento de IR quando houver migração de investimento, mas na previdência privada isso não ocorre, e novamente permitirá um maior acúmulo de reserva considerando o efeito dos juros compostos.

Sucessão patrimonial

A previdência privada permite a escolha de beneficiários na hipótese de morte do titular do plano e transfere todo o valor do resgate às pessoas escolhidas.

O benefício é repassado de forma direta, sem a necessidade de passar por um inventário e, dependendo do Estado, você pode ser isento até mesmo do pagamento do imposto sobre heranças, o ITCMD.

Incentivo à disciplina

Se você não tem disciplina para se comprometer a guardar quantias por conta própria, a previdência é uma excelente forma de assegurar seu futuro. As mensalidades funcionam como uma “poupança forçada”, pois o investidor terá as parcelas debitadas em conta ou receberá os boletos conforme acordado na hora da contratação do produto.

Rendimento mesmo com suspensão

Os planos permitem a suspensão temporária a qualquer momento. O saldo de recursos acumulados continua rendendo e o investidor pode voltar a contribuir quando desejar.

No caso de dificuldades financeiras, pode-se suspender os pagamentos, como também se receber uma renda extra é possível depositar adicionais para aumentar a reserva previdenciária.

Quais são os riscos desse investimento?

Os recursos destinados a previdência privada, serão investidos em diversos produtos financeiros, seguindo o perfil de risco do investidor, porém é importante que os rendimentos estejam alinhados aos retornos médios de mercado. Se o produto não tiver o retorno satisfatório, o resultado final sofrerá grande impacto, podendo obter resultados piores que a poupança.

A previdência privada, assim como os fundos de investimento, não contam com a garantia do FGC, contudo, de acordo com a Lei Complementar 109, as seguradoras ou entidades de previdência privada têm obrigação de constituir reservas técnicas e fundos e provisões. O dinheiro deve estar separado dos demais ativos, pois caso haja insolvência da empresa, os recursos podem ser transferidos para uma outra empresa.

Pela necessidade de garantir aos participantes a devida proteção, a previdência privada impõe rígidas normas de fiscalização ao sistema.

O Estado tem como função, através de órgão competente, supervisionar, fiscalizar e intervir de forma que venha proteger os interesses de todos os participantes e beneficiários dos planos adquiridos através das entidades de previdência.

Deve ainda verificar a regularidade de suas operações e aplicar sanções devidas quando não houver o cumprimento da legislação.

Além da garantia do Estado, é importante contar com o auxílio de um especialista em planejamento financeiro que transmita profissionalismo, segurança e alinhamento com as expectativas do investidor. Com essa ajuda, qualquer risco apresentado será minimizado.

Pode-se perceber que as vantagens da previdência privada são ideais para quem deseja realizar um investimento a longo prazo, garantir uma vida financeira tranquila e segura para si e seus beneficiários. Mas é importantíssimo, o acompanhamento de um especialista para te acompanhar nas decisões ao longo deste caminho.

Gostou do conteúdo? Então acesse nosso portal e saiba como planejar sua aposentadoria e atingir todos os seus objetivos!