Previdência privada x tesouro direto
Aposentadoria Planejamento financeiro

Previdência privada x tesouro direto: descubra o melhor para você

Tempo de leitura: 4 min

Previdência privada ou tesouro direto: qual a melhor opção de investimento? Em meio a uma economia turbulenta, em que taxas de juros e inflação rondam o dia a dia das pessoas, é comum encontrar informações nos meios de comunicação e em redes sociais quanto ao tipo de investimento que é melhor para a aposentadoria.

Mas não se preocupe: para desmistificar e esclarecer qualquer dúvida sobre a previdência privada x tesouro direto elaboramos este post. Continue a leitura e saiba hoje mesmo qual a melhor opção de investimento para seu futuro!

Previdência privada: o que é?

A previdência privada é um tipo de investimento voltado para a aposentadoria. E nos últimos anos este tipo de aplicação financeira vem sendo uma excelente opção para quem deseja complementar a renda recebida pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), órgão responsável pela administração da Previdência Social.

De forma geral, a previdência privada é dividida em dois grupos:

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

Indicado para quem faz a declaração anual do Imposto de Renda no modelo completo, já que permite abater da base de cálculo até 12% da receita anual tributável, no entanto, é preciso que o aplicador seja contribuinte da Previdência Social;

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

Indicado para quem opta pela declaração simplificada, utilizando, assim, o desconto padrão de 20%.

Tesouro direto: o que é?

Nos últimos anos a compra de títulos públicos no Tesouro Direto vêm sendo uma excelente opção de investimento (além de ser um dos mais seguros). Por serem aplicações de renda fixa, o seu rendimento pode ser mensurado no momento que o investimento é realizado, o que representa menor variabilidade quando comparado à investimentos em renda variável.

A principal vantagem de quem deseja investir em títulos públicos é a possibilidade do aplicador montar sua própria carteira conforme seus objetivos, adequando, assim, prazos de investimento e indexadores às suas necessidades.

De forma geral, o investidor pode adquirir títulos públicos prefixados e pós-fixados:

Títulos prefixados

A rentabilidade é definida no momento da compra, ou seja, o investidor sabe exatamente o valor que receberá se ele permanecer com o título até a data de vencimento;

Títulos pós-fixados

o valor do investimento é corrigido por meio de um indexador, assim, a rentabilidade da aplicação depende do desempenho do indexador e da taxa adicional acordada (quando houver) no momento da compra do título.

Previdência privada x tesouro direto: qual a melhor opção?

O aplicador precisa planejar seu orçamento e realizar uma boa pesquisa antes de contratar um tipo de aplicação financeira, seja uma previdência privada ou títulos públicos.

A previdência privada proporciona algumas vantagens das quais nenhum outro investimento proporciona quando falamos de aposentadoria. São eles:

Tabela Regressiva de IR

Esta é uma alternativa para quem quer se aposentar mais rápido. Como o nome evidencia, esta tabela inicia com a alíquota do imposto mais alta e vai regredindo até que chegue a 10%.

Portabilidade

Uma vez que o investidor não estiver satisfeito com a performance do seu fundo de previdência, ele poderá portar para outro fundo que esteja de acordo com seu perfil.

Este diferencial é muito importante pois, no tesouro, caso você queira readequar seus investimentos e remontar a distribuição da sua carteira você pagará IR por isso, e na previdência o IR incidirá apenas no resgate.

Abatimento da renda tributável

Se você tem renda tributável e faz a Declaração de Imposto de Renda pelo modelo completo, boa notícia: é possível usar o Plano Gerador de Benefício Definido (PGBL) como benefício fiscal. Assim, há a opção de abater até 12% desta renda.

Por fim, como se trata de um planejamento de longo prazo e não sabemos do dia de amanhã, um outro e muito desconhecido benefício da previdência privada é que o valor acumulado não entra em inventário em caso de falecimento do titular da previdência. Sendo assim, este valor irá ser pago diretamente para os beneficiários que estão elencados na proposta junto à entidade seguradora

Vale ressaltar que no mercado há muitas previdências que performam mal e tornam-se pior que Tesouro Direto, e também incidem altas taxas de carregamento, por isso a importância de se contar com uma assessoria em planejamento de aposentadoria para que você faça um bom negócio.

Gostou do post? Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de todas as novidades. Nos vemos por lá!