juro nominal e juro real
Financeiro Investimento Planejamento financeiro

Juro nominal e juro real: qual a diferença? Entenda!

Tempo de leitura: 3 min

Saber a diferença entre juro real e juro nominal é muito importante para quem trabalha ou utiliza variadas operações financeiras, como investimentos, empréstimos e negociações imobiliárias, entre outras. Essas duas taxas de juros dizem respeito ao cálculo e à diferença entre os valores aplicados e recebidos, após o período estabelecido no contrato.

Neste artigo, explicaremos os conceitos de taxas de juros real e nominal, assim como suas principais características e diferenças. Continue a leitura e acompanhe.

Taxa de juro nominal

É a taxa de juros declarada ou contratada em uma operação financeira. Essa taxa de juros é um cálculo bruto, no qual não se leva em consideração despesas e/ou custos, como a inflação (aumento geral dos preços), por exemplo.

Exemplo de aplicação de juro nominal

Considere uma aplicação na poupança de R$ 100,00 com juro nominal de 0,5% ao mês. No final do primeiro mês, ela deverá render R$ 0,50 de juros somados aos R$ 100,00  depositados, ou seja, R$ 100,50.

Taxa de juro real

Ao contrário da taxa de juros nominal, a taxa de juros real é calculada levando em consideração todos os custos envolvidos em uma negociação, como a inflação e a taxa de contratação, por exemplo.

O cálculo dessa taxa, portanto, é o lucro líquido obtido sobre o valor inicial. Para chegarmos a esse valor, usa-se a fórmula:

Juros Reais = (1 + Juros Nominais) / (1 + Inflação) – 1.

Exemplo de aplicação de juro real

Uma instituição financeira divulgou um investimento com juro nominal (JN) de 10% ao ano, sendo que a inflação (I) no período foi de 6%. Com essas duas informações, é possível calcular o juro real (JN).

I de 6% (6/100) = 0,06

JN de 10% (10/100) = 0,10

JR = (1 + 0,10) / (1 + 0,06) – 1

JR = (1,10 / 1,06) – 1 JR = 1,03773 – 1 = 0,03773

Para achar a taxa de juros real, basta multiplicar 0,03773 por 100. O resultado será de 3,773% ao ano.

Importância da taxa real de juro

Todo investidor busca opções que ofereçam o melhor ganho real, ou seja, que estejam acima da inflação. Não adianta nada investir em uma aplicação com rendimento de 6% ao ano, se os preços subirem 8% no mesmo período, pois, nesse caso, sua rentabilidade real será negativa em 1,85%.

Nesse contexto, são indicados alguns cuidados básicos que devem ser levados em consideração, como:

Simuladores de previdência

Esteja atento aos simuladores de previdência — nem sempre as simulações oferecidas estipulam taxas pertinentes com o mercado financeiro, sendo assim, tenha cuidado com superestimações que podem ficar muito longe da realidade do investimento.

Taxa nominal abaixo da inflação

Tome cuidado com a taxa nominal abaixo da inflação — esse tipo de investimento gera perda do poder de compra.

Simulações de longo prazo

Use a taxa real para simulações de longo prazo — usar a taxa real no cálculo torna o valor mais realista, uma vez que já considera projeções da inflação.

Projeção com base no juro real

Ao fazer a projeção com base no juro real, o valor acumulado será diferente da projeção — isso acontece porque o montante acumulado no futuro vai representar o mesmo poder de compra da simulação feita na data presente, ou seja, em termos nominais, esse valor acumulado será maior no final do período.

Neste artigo, falamos sobre os conceitos de juro nominal e juro real, assim como a importância de saber suas principais características e diferenças. Entender como funciona cada taxa pode ser um grande diferencial de perdas e ganhos futuros.

Deixe seu comentário e diga-nos sua opinião, sugestão ou dúvida.